Skip to main content

Campinas é a 6ª melhor em gestão municipal

Campinas é a 6ª melhor cidade do País entre os 100 maiores municípios brasileiros, segundo o ranking ‘Desafios da Gestão Municipal’ (IDGM), da consultoria Macroplan. O principal avanço foi na área de Saúde. Em Educação, Campinas perdeu seis posições. A matéria foi publicada pelo jornal Correio Popular.

O estudo feito pela Macroplan, com o apoio do Movimento Brasil Competitivo (MBC), mostra as áreas críticas de vários municípios, mas também mostra como algumas cidades, apesar da crise, conseguiram fazer entregas razoáveis para a sociedade com poucos recursos, inovando no campo da gestão.

Foram analisados dados das 100 maiores cidades brasileiras em termos de população — aquelas com mais de 266 mil habitantes. No índice, que consolida 16 indicadores em quatro áreas: Educação, Saúde, Segurança, Saneamento e Sustentabilidade, as cidades do Interior se destacaram entre as melhores.

O levantamento comparou a posição das cidades no intervalo de dez anos. Na área da Saúde, Campinas aparece na 6ª posição entre as 100. O indicador leva em conta a taxa de mortalidade prematura por doenças crônicas não transmissíveis; proporção de nascidos vivos de mães com sete ou mais consultas de pré-natal; cobertura das equipes de atenção básica e a taxa de mortalidade infantil. Há dez anos, a cidade ocupava a 10ª posição na área da Saúde. Em Infraestrutura e Sustentabilidade, Campinas passou da 22ª para a 21ª posição.

Campinas ainda foi destaque na área de Segurança, passando da 56ª posição em 2005 para a 25ª posição em 2015, considerando as 100 cidades. Embora a classificação ainda seja considerada alta, o município conseguiu reduzir as taxas de homicídios de 36,7% para 17,2%, entre 2004 e 2014. No segundo critério, que é a taxa de óbitos no trânsito, Campinas conseguiu reduzir de 19,9 para 19,3 o total de mortes no mesmo período.

Na área de Educação e Cultura, Campinas aparece como a 16ª cidade no ranking, perdendo seis posições entre 2005 e 2015. Esse indicador leva em conta o número de matrículas em creches e pré-escola, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e o número de museus por habitante.

Na matéria publicada pelo Correio Popular, o prefeito Jonas Donizette (PSB) afirma que o estudo tem ainda mais peso quando se leva em conta o contexto da crise econômica enfrentada pelos municípios brasileiros. “E o estudo mostra que Campinas melhorou no geral. Saiu do 9ª para o 6º lugar”, acrescenta.

(com informações do Correio Popular)

Para Angelo Frias Neto, diretor-presidente da Frias Neto Consultoria de Imóveis e diretor estadual do Secovi (Sindicato Patronal da Habitação), entender o desempenho dos municípios para identificar boas práticas que possam servir de inspiração para outras cidades é um dos pontos fortes do estudo.

O diretor da Frias Neto e presidente da Rede Imobiliária Campinas, Rodrigo Coelho de Souza, concorda e lembra que, por meio dos dados apresentados, foi possível saber que Campinas está na frente de todas as capitais e que entre os municípios com maior geração de receita própria, a cidade se destaca com a 6ª posição.

Foto: Site da Prefeitura de Campinas

Comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: